PEA BioActive™ – Estratégia Terapêutica no Alívio da Dor

Love lives forever! Senior couple at home. Handsome old man and attractive old woman are enjoying spending time together. Having fun and jumping in bed.

PEA BioActive™

 

 

Estratégia Terapêutica no Alívio da Dor

Suplementação para Controle da Inflamação e da Dor em Treinos de Hipertrofia

 

 

Indicações:

  • Dor crônica inflamatória e neuropática
  • Também indicado na medicina Veterinária (dores crônicas e inflamações cutâneas)
  • Atletas
  • Crossfitters
  • Dançarinos
  • Bodybuilders

 

 

Evidências de Efetividade

  • Neuropatias
  • Dor ciática e lombociática
  • Fibromialgia
  • Osteoartrite
  • Esclerose múltipla
  • Dor pós-cirurgia dentária
  • Síndrome do túnel do carpo
  • Dor em articulação temporomandibular
  • Radiculopatia
  • Dor oncológica
  • Vestibulodinia
  • Dor pélvica crônica e relacionada à endometriose

 

 

Evidências Clínicas

Vários estudos clínicos e pré-clínicos demonstraram a habilidade do PEA BioActive™ em reduzir a inflamação e dor induzida por estímulos agudos, além de sua relevância clínica tanto como um agente analgésico isolado ou como parte da abordagem terapêutica. Os efeitos anti-inflamatórios e analgésicos foram confirmados em modelos de inflamação crônica e dor neuropática, são doses dependentes e demonstraram que PEA BioActive™ não apenas reduziu a dor como preservou a morfologia neuronal periférica, reduziu o edema endoneural, o recrutamento e ativação dos mastócitos e a produção de mediadores pró-inflamatórios no local da lesão.

PEA BioActive™ pode interferir em alterações neuronais responsáveis pela dor, via regulação de processos inflamatórios persistentes e assim, agir como um agente modificador da doença. Vários estudos clínicos controlados têm sido conduzidos recentemente para avaliar sua eficácia no tratamento da dor crônica associada a várias condições clínicas.

 

 

Estudos Clínicos

Os resultados de todas as triagens clínicas, envolvendo no total cerca de 6.000 pacientes, demonstraram a redução da intensidade de dor e a ausência de efeitos adversos. Portanto, PEA BioActive™ representa uma nova estratégia terapêutica no manejo da dor crônica e dor neuropática associada com a neuroinflamação, geralmente bem tolerado nas populações pesquisadas, sem nenhum efeito adverso específico reportado.

 

 

Posologia

Oral: 300 a 1200 mg ao dia, podendo ser dividido em 3 doses.

 

 

Orçamento:
Entre em contato conosco:  16 3931-2979 | 📱16 99618-8659 (WhatsApp) e consulte uma de nossas farmacêuticas. 👩‍⚕💊

 

Em caso de dúvida consulte o seu médico ou farmacêutico

 

 

 

 

Referências Bibliográficas:

Artukoglu BB, et al. Efficacy of Palmitoylethanolamide for Pain: A Meta-Analysis. Pain Physician. 2017 Jul;20(5):353-362. Gabrielsson L, et al. Palmitoylethanolamide for the treatment of pain:
pharmacokinetics, safety and efficacy. Br J Clin Pharmacol. 2016 Oct;82(4):932-42. Paladini A, et al. Palmitoylethanolamide, a Special Food for Medical Purposes, in the Treatment of Chronic
Pain: A Pooled Data Meta-analysis. Pain Physician. 2016 Feb;19(2):11-24. Costa B, et al. The endogenous fatty acid amide, palmitoylethanolamide, has anti-allodynic and anti-hyperalgesic
effects in a murine model of neuropathic pain: Involvement of CB(1), TRPV1 and PPARgamma receptors and neurotrophic factors. Pain 2008; 139:541-550. D’Agostino G, et al. Central
administration of palmitoylethanolamide reduces hyperalgesia in mice via inhibition of NF-κB nuclear signalling in dorsal root ganglia. Eur J Pharmacol 2009; 613: 54–9. De Filippis D, et
al. Palmitoylethanolamide reduces granuloma-induced hyperalgesia by modulation of mast cell activation in rats. Mol Pain 2011; 10:3. Di Cesare Mannelli L, et al. Palmitoylethanolamide
is a disease-modifying agent in peripheral neuropathy: Pain relief and neuroprotection share a PPAR-alphamediated mechanism. Mediators Inflamm 2013; (e-Pub only). Gatti A, et al.
Palmitoylethanolamide in the treatment of chronic pain caused by different etiopathogenesis. Pain Med 2012; 9: 1121–30. Chirchiglia D, et al. Administration of palmitoylethanolamide in
combination with topiramate in the preventive treatment of nummular headache. Int Med Case Rep J. 2016 Jul 18;9:193-5. Del Giorno R, et al. Palmitoylethanolamide in fibromyalgia: results
from prospective and retrospective observational studies. Pain Ther 2015; 4: 169–78. Keppel Hesselink JM, et al. New topical treatment of vulvodynia based on the pathogenetic role of cross
talk between nociceptors, immunocompetent cells, and epithelial cells. J Pain Res. 2016 Oct 3;9:757-762. eCollection 2016. Keppel Hesselink JM, et al. Palmitoylethanolamide, a neutraceutical,
in nerve compression syndromes: efficacy and safety in sciatic pain and carpal tunnel syndrome. J Pain Res. 2015 Oct 23;8:729-34. Keppel Hesselink JM, et al. Vulvodynia and proctodynia treated
with topical baclofen 5 % and palmitoylethanolamide. Arch Gynecol Obstet. 2014 Aug;290(2):389-93. Phan NQ, et al. Adjuvant topical therapy with a cannabinoid receptor agonist in facial
postherpetic neuralgia. J Dtsch Dermatol Ges. 2010 Feb;8(2):88-91. Schifilliti C, et al. Micronized palmitoylethanolamide reduces the symptoms of neuropathic pain in diabetic patients. Pain
Res Treat 2014; 2014: 849623.
Disponível em: < fagron.com.br> Acesso em: 20 de março de 2019.